Leia em: 4 minutos

Explorando a gestão empresarial: Por onde começar?

Que a gestão empresarial é importante, todo dono de oficina sabe. Mas por que ainda é tão difícil implementá-la?

Talvez um dos maiores obstáculos esteja relacionado ao passado, quando esse tipo de empresa era herdado, repassado de uma geração para outra, de pai para filho sucessivamente, de uma forma despreocupada com a organização do estabelecimento. O foco era muito mais voltado às habilidades técnicas do reparador.

Outra possibilidade para a falta de gestão adequada nas oficinas automotivas é a crença limitadora de que a profissão ainda representa uma classe menos favorecida e, por conta disso, não é merecedora de uma estruturação equivalente a das demais companhias.  

Seja qual for a alternativa que mais se encaixa ao seu perfil, está mais que na hora de abandonar a mentalidade. Com um crescimento de 11,6%, o setor automotivo ocupa o segundo lugar no ranking de franquias que mais prosperam no Brasil, dada à expansão do mercado de veículos seminovos.

No artigo de hoje, você vai aprender por onde começar a gestão da sua oficina, compreendendo exatamente o que envolve esse primeiro quesito. Acompanhe a leitura!

Qual é o primeiro passo?

Agora que você já entende que a sua oficina é uma empresa, não há mais como adiar algumas práticas vitais para que ela não apenas sobreviva, mas tenha condições de despontar e crescer potencialmente.

E por onde começar? A gestão empresarial de qualquer companhia inicia pelo estudo do mercado, que inclui pesquisar sobre a área de atuação do seu negócio e analisar, além da postura de seus concorrentes, o comportamento dos consumidores. Basicamente, são estes os três pilares que compõem o primeiro passo.

  • Área de atuação

Hoje, a internet disponibiliza muitas ferramentas que auxiliam no estudo da área de atuação de qualquer ramo, o que engloba o segmento automotivo. Quando estiver à procura deste material, busque notícias que apresentem os cenários do passado e atual, identificando os picos de crescimento e declínio, bem como os fatores que possam ter contribuído para as variações.

Pesquise também sobre as projeções do mercado e sobre quais coeficientes elas estão apoiadas. Estude as tendências de produtos e serviços, providenciando assim que possível as devidas qualificações, e frequente palestras, seminários e workshops.

Como dica de estudo deste conteúdo, sugerimos o Guia de Tendências – Serviços Automotivos 1ª Edição, fornecido pelo Sebrae. 

A gestão empresarial que conta com o abastecimento contínuo de informações traz resultados impressionantes para o seu negócio.

  • Concorrência

A competição é um instinto nato. Infelizmente, pais e educadores ensinam exatamente o oposto, o que acaba se tornando mais um empecilho a ser superado na escola da vida. A lição a ser aprendida no mercado dos negócios é: mais importante do que competir, é vencer, e para assegurar a vitória, você não só pode como deve ver o que o colega está fazendo – não para copiá-lo, mas para fazer melhor!

Avaliar os concorrentes faz parte do estudo e é de suma importância para a gestão empresarial. A partir deste mecanismo, é possível examinar questões de qualidade de produtos e serviços, preços, condições de pagamento, prazos, garantias, formas de contato, estratégias de marketing, comodidade, ambiente e uma enxurrada de aspectos, que podem se converter no seu diferencial sob a perspectiva dos clientes.

Então, descubra quem são os seus concorrentes (aqueles que fornecem os mesmos produtos e serviços que o seu estabelecimento), seguindo critérios pertinentes com relação a porte (o tamanho deve ser similar) e localização (área determinada pelo alcance de atendimento).

Além disso, nesse processo comparativo, identifique os pontos fortes da sua empresa, assim como aqueles que necessitam de um pouco mais de atenção. Seus competidores também têm qualidades e defeitos, e um administrador que se preze está sempre alerta ao que pode vir a ser uma oportunidade ou ameaça.

A comparação não é um ato de fraqueza. Ao contrário, é uma ação de um gestor competente.

  • Clientela

Foi-se o tempo em que para atrair clientes bastava consertar os carros. De fato, no passado, o foco era o veículo. Hoje, contudo, os consumidores querem muito mais que a resolução de um problema, preço e prazo. O que os clientes buscam agora é uma experiência satisfatória, que reúna também a excelência no atendimento, estendida ao pós-venda.

Em conjunto, todos estes quesitos trabalham na reputação da empresa, que é a imagem que os clientes têm do estabelecimento.

A gestão empresarial é também uma ferramenta de auxílio no reconhecimento do exato tipo de produto, serviço e consideração com relação ao que os consumidores esperam de uma oficina mecânica. Através de pesquisas de mercado e satisfação, é possível visualizar oferta e demanda, com o objetivo de cruzar os dados e oferecer precisamente o que os clientes desejam.

O que definitivamente é importante entender sobre a gestão empresarial?

Existe uma grande confusão entre ter controle das contas a pagar e receber e o gerenciamento propriamente dito. A correta administração de uma companhia envolve mais que as transações financeiras; incluem a determinação de metas, o cumprimento de regras, o cálculo de riscos, o planejamento e monitoramento de resultados, a formação de redes de contatos, a incorporação de estratégias de marketing, a otimização de tempo e custos e a gestão de pessoas, sejam elas colaboradores, colegas ou clientes.

Ou seja, exige um trabalho bem mais aprofundado e árduo. Mas as garantias concedidas pela prática certamente valem o investimento e a dedicação.

Com a gestão empresarial, as tomadas de decisões são mais assertivas tanto no que diz respeito às alocações de verbas em inovações, que agregam valor aos produtos e serviços, quanto na criação de promoções e parcerias. O gerenciamento traz também mais transparência quanto às informações da empresa, mostrando, por exemplo, os setores que mais lucram, o funcionário mais produtivo e a quantidade adequada de colaboradores para a execução das tarefas.

Todos estes dados podem ser administrados através de softwares de gestão, muitos deles disponíveis na internet de forma gratuita. No entanto, o uso de dispositivos apropriados para o gerenciamento não dispensa o estudo prévio de mercado. Na verdade, estes dois instrumentos, conhecimento e recurso operacional, são complementares na gestão.

Portanto, não se permita quebrar por capricho, por não adotar um sistema cujos benefícios você conhece. O futuro da sua empresa não depende do acesso à informação, mas do que você faz de posse dela.

Gostou deste conteúdo?

No nosso artigo Explorando a gestão empresarial – Parte 2, você vai descobrir tudo sobre como formar uma super equipe. Aproveite para se aprofundar no assunto!

Sobre o autor

Tatiana Pinheiro

2 comentários

  • Olá, excelente artigo, escrito com clareza e simplicidade porém esclarecedor e instrutivo, portanto gostaria de pedir permissão para postar esse artigo na categoria “Gestão de Oficinas e Auto centers” de um fórum de reparos automotivos da qual tenho a honra de ser administrador, aguardo retorno e deixo meus agradecimentos antecipados.
    Adriano Dias.

    • Olá Adriano, tenha total liberdade para publicar este ou qualquer outro artigo do blog no fórum em que você administra. O Falaauto é feito para ajudar as oficinas a prestarem um serviço de qualidade superior aos seus clientes, além de poderem ser mais lucrativas nas suas atividades. Um grande abraço e sucesso ao seu fórum.

Deixar comentário.