Fazendo a embreagem durar mais

Sendo bem direto, quanto menor o tranco no momento da troca de marcha, menor será o desgaste da embreagem. Além disso, há uma série de outros vícios para evitar, que ajudam a prolongar a vida útil desta peça. Veja quais são:  

1) Nada de segurar o carro na ladeira com o pé na embreagem

Esta é uma das piores situações para acabar com ela. Para quem mora em prédios, cuidado com as rampas de garagem: todos os dias, segurar o carro enquanto o portão não abre é muito ruim; puxe o freio de mão e desengate.  

2) Após a troca da marcha, tire totalmente o pé do pedal da embreagem 

E coloque-o sobre o assoalho. Ficar com o pé descansando sobre o pedal da embreagem é outro vilão do conjunto.  

3) Quanto maior o peso do seu carro, maior será o desgaste

Se você reboca carreta, moto aquática ou costuma fazer do seu carro um ônibus de excursão, redobre a atenção! Aproveite e dê uma olhada no porta-malas, veja se você não está levando peso desnecessário.  

4) Coloque sempre a marcha que mais se enquadra à velocidade do carro 

Se, após a troca, houver uma mudança brusca de velocidade, significa que a marcha que você colocou não foi adequada. Se colocar uma marcha menor, seu corpo será projetado para frente; se você engatar uma superior, você ficará com uma resposta ruim no pedal do acelerador, sem torque para poder sair de uma situação que exija uma resposta rápida.  

Dirigir agressivamente desgasta várias peças do carro, como freio, suspensão e coxins. Este é o comportamento de quem dirige de forma esportiva, acelerando para entrar na sua frente, reduzindo bruscamente para conseguir uma retomada mais forte. Na verdade, essa pessoa está diminuindo significativamente a vida útil de todas as peças mencionadas, além da embreagem. Se você tem dúvidas, basta assistir às corridas da Stock Car.  

Para você entender melhor, imagine uma corrida de revezamento: o bastão deve ser passado no momento certo, ou seja, nem antes, nem depois. Agora, considere um boneco solto no banco do passageiro e faça as trocas de forma que ele se movimente o menos possível. Isto significa que você está encontrando o melhor momento entre as rotações do motor e das rodas. Perceba que a maioria dos taxistas dirigem dessa forma, sem alterações bruscas de velocidade.

É obvio que, em congestionamentos, troca-se muito a marcha e, em consequência, ocorre um desgaste maior da embreagem. O que algumas pessoas não percebem é que, muitas vezes, caminhos mais longos, em vias expressas (sem semáforos), além de economizar combustível, também poupam a embreagem.  

Gostou do artigo?

Curta nossa fanpage e fique por dentro de todo o conteúdo que a FalaAuto oferece!

Leia também nosso material sobre Motor – Como é medida a vida útil?

Sobre o autor

José Olavo

Deixar comentário.